Moradores de Vista Alegre e proximidades se unem para cobrar transporte escolar para Leopoldina

Por Júlio Cesar Martins | Geral - 10/04/2019 - 20:25 | Atualizado: 11/04/2019 - 19:45

Serviço era prestado até o começo do ano. Procurada pela Reportagem, Superintendência Regional de Ensino de Leopoldina emitiu Nota sobre o caso.





Estudantes matriculados em escolas de Leopoldina, alunos que residem nas proximidades de Vista Alegre – em território leopoldinense, juntamente com alunos que moram naquele distrito cataguasense e também estudam em escolas de Leopoldina passaram a enfrentar dificuldades este ano para assistirem as aulas devido a problemas com o transporte escolar que até fevereiro era fornecido pela Prefeitura Municipal de Leopoldina. 

De acordo com os depoimentos de pais e dos próprios alunos, no período da manhã são 22 estudantes do 1º ao 3º ano do Ensino Médio que não conseguem o passe escolar para Leopoldina, e no período da noite, no Ensino de Jovens e Adultos (EJA), são 9 alunos, com idades entre 18 e 28 anos. Segundo as informações, até fevereiro eles tinham o passe escolar, que não havia sido renovado este ano. 


Conforme relatos de alunos ao jornal O Vigilante Online, um veículo escolar que atende a estudantes do distrito de Ribeiro Junqueira e até recentemente servia aos estudantes de Vista Alegre e proximidades, que o aguardavam próximo à antiga estação ferroviária, em solo de Leopoldina, deixou de transportá-los. 

A reportagem esteve em Vista Alegre, onde participou de um encontro com moradores, realizado em um salão de eventos cedido pelo presidente do Conselho de Desenvolvimento Comunitário de Vista Alegre, Marco Antônio Lopes Ferreira (d), que lá compareceu acompanhado do vice-presidente daquele Conselho, Lídio Diogo Moraes.  


Durante a reunião, iniciada pela moradora Maria de Fátima (foto), foram apresentadas as reclamações e reivindicações de pessoas que residem no município de Leopoldina, nas proximidades do distrito cataguasense de Vista Alegre, e também de quem mora naquela localidade e tem como referência a cidade de Leopoldina para trabalhar, fazer compras em seu comércio, lazer, pagamento de contas, dentre outras atividades, uma delas a facilidade de acesso a Leopoldina, se comparada à alternativa em estrada de terra para Cataguases. “Tudo nosso é feito em Leopoldina”, disse uma senhora.

Segundo os moradores que compareceram na reunião, até o último mês de fevereiro os estudantes conseguiam chegar às escolas em Leopoldina utilizando os passes na empresa de ônibus que atende aquela localidade, entretanto, não conseguiram renová-los e estavam com dificuldades para solucionar a questão. 

As reclamações daquela comunidade foram encaminhadas pela reportagem à Superintendência Regional de Ensino (SRE) de Leopoldina. Também mantivemos contato com as Secretarias Municipais de Educação de Leopoldina e Cataguases para obter mais informações a respeito da situação envolvendo os alunos que residem nas proximidades de Vista Alegre e dependem do transporte escolar de responsabilidade de Leopoldina. A Secretaria Municipal de Educação de Leopoldina informou que o município não pode arcar com o transporte escolar de alunos que não residam no município. A Secretaria Municipal de Educação de Cataguases disse que já atende os alunos daquela localidade que estudam em Cataguases.

Nesta quarta-feira, 10 de abril, a Redação foi informada pela SRE que o problema dos passes escolares no ônibus que atende Vista Alegre e proximidades já estaria resolvido, entretanto, o Jornal não conseguiu confirmar esta informação com os alunos.  

Em relação aos 9 alunos que estudam no EJA da Escola Estadual Sebastião Silva Coutinho (Polivalente), as famílias pretendem sensibilizar a Secretaria Municipal de Educação de Leopoldina a continuar transportando os estudantes que dependem do veículo. É o caso de duas jovens que estão há apenas 70 dias para concluir o curso, e outros que concluirão o EJA em dezembro deste ano, sendo que praticamente todos estão faltando às aulas em Leopoldina. “Das 9 pessoas, 4 estão indo de ônibus, as demais pararam", informaram. 

Em Nota encaminhada ao Jornal O Vigilante Online, a Superintendência Regional de Ensino de Leopoldina se posicionou em relação aos problemas apresentados na reportagem:

"A SRE/Leopoldina informa que a Legislação Estadual do Transporte Escolar, Lei 21777/15 e Decreto 46946/2016, estabelecem os critérios para o repasse aos municípios, do recurso estadual para o transporte dos estudantes de ensino médio da zona rural. É de competência dos municípios, gerirem este recurso. 

Ante a solicitação de algumas pessoas do Distrito de Vista Alegre, (Cataguases) da continuidade do transporte escolar em 2019, de estudantes de EJA, turno noturno, para as escolas de Leopoldina, com a justificativa de ser mais fácil estudar aqui, e procurando ajudar na solução dessa demanda, entramos em contato com o Secretário Municipal de Educação de Cataguases e com a Secretária Municipal de Educação de Leopoldina, para encontrarmos uma saída.

O Secretário de Cataguases se dispõe a providenciar o transporte desses estudantes para Cataguases. A Secretária de Leopoldina informou que não tem como transportar estudante que não residem em Leopoldina. 

Estaremos em reunião, no dia 16/04/2019, com o Subsecretário de Administração do Sistema Educacional da Secretaria de Estado de Educação para tratarmos de outros assuntos, e estaremos informando-o dessa situação."


Fonte: Jornal O Vigilante



Os comentários são de responsabilidade dos seus autores e não representam a opinião do Jornal O Vigilante Online, que reserva-se o direito de excluir postagens ofensivas, injúrias, xingamentos, ameaças e agressões a quaisquer pessoas.

Logo O Vigilante
Jornal O VIGILANTE ONLINE | HC&P - Copyright © 2009-2019 | Este material não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem autorização
Criado e Desenvolvido por Criado e Desenvolvido por HPMAIS