Mortes por febre amarela em Minas chegam a 168 e batem novo recorde histórico

Ao todo são 482 casos confirmados, com 168 mortes.


Pela segunda vez, em duas semanas, o número de mortes por febre amarela em Minas Gerais supera todas as medições realizadas pela Secretaria de Estado da Saúde. De acordo com boletim epidemiológico divulgado nesta terça-feira (15), já são 168 óbitos confirmados desde o início do segundo período de monitoramento da doença, que vai de julho de 2017 a junho deste ano. No último levantamento, publicado no dia 2 de maio, eram 166 mortes. E o recorde anterior era de 162 óbitos, registrados entre julho de 2016 e junho de 2017.

Ainda nesta terça, a SES-MG divulgou também o número total de casos confirmados: 482, com outros 235 em investigação.  No balanço anterior, eram 475 confirmações, com outros 291 em investigação.

Perfil

Conforme o levantamento, do total de casos confirmados, 418 (86,7%) são do sexo masculino e 64 (13,3%) do sexo feminino. Dentre os óbitos, 13 (7,7%) foram do sexo feminino e 155 do masculino (92,3%). A idade média dos casos confirmados é de 48 anos. 

A letalidade por febre amarela em Minas Gerais no período de 2017/2018 é de aproximadamente 34,9%.

Vacinação prévia

Dentre os casos em investigação, há registro de 11 pacientes com histórico de vacinação prévia e exame positivo para febre amarela. Esses pacientes permanecem em investigação para levantamento de informações clínicas e epidemiológicas fundamentais para conclusão dos casos. 

Atualmente há uma comissão investigando os casos suspeitos de Febre Amarela com histórico de vacinação prévia, com a participação do Ministério da Saúde, que destaca que a eficácia da vacina contra febre amarela é de 95% a 98%.

Outro ponto é que a recomendação preconizada pelo Regulamento Sanitário Internacional da Organização Mundial de Saúde (OMS), ratificado pelo Ministério da Saúde, é de que uma única dose da vacina contra febre amarela confere proteção por toda a vida.

Atualmente, a cobertura vacinal acumulada em Minas Gerais está em torno de 95,16%. Ainda há uma estimativa de 691.450 pessoas não vacinadas, especialmente na faixa-etária de 15 a 59 anos de idade, que também foi a mais acometida pela epidemia.

Fonte: Jornal Hoje em Dia e SES-MG


Logo O Vigilante
Jornal O VIGILANTE ONLINE | HC&P - Copyright © 2009-2017 | Este material não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem autorização
Criado e Desenvolvido por Criado e Desenvolvido por HPMAIS