É preciso ligar a luz amarela


Por Júlio Cesar Martins

Quando a falta de argumentos leva a agressões que ultrapassam os limites da ética e da urbanidade, é preciso que liguemos a luz amarela de atenção e façamos uma autocrítica. 

Não se pode negar que no bate-rebate das diferenças políticas, acentuadas em ano de eleições, tornaram-se rotina em Leopoldina as menções de que pessoas não fizeram o Teste do Pezinho, o que interpretei como uma maneira de insinuar que estas pessoas, indefinidas propositalmente, tivessem algum problema intelectual ou comportamental, daí não merecerem crédito no embate político travado no município. 

Em homenagem ao Teste do Pezinho, cujo Dia Nacional foi comemorado no último dia 6 de junho, considero oportuno esclarecer que a incorporação desse Teste ao SUS somente ocorreu através da Portaria GM/MS n.º 22, de 15 de Janeiro de 1992. 

Portanto, quem utiliza esta infeliz metáfora como escudo e espada, deveria saber que todos os brasileiros nascidos antes de 1992, homens e mulheres com mais de 26 anos, não contavam com o acesso gratuito ao teste do pezinho, e talvez nem soubessem de sua existência. Logo, ampliado estaria o grupo dos que não fizeram o exame. 

Considero descabido o conceito, ou preconceito, de que o ser humano estaria “condenado” a ser “atacado” por não ter feito o Teste do Pezinho, como sugere o autor ou autores do deboche, ainda que não o tivesse feito. 

Injustiça em dobro, pois a ofensa atropela a dignidade do ser humano e alcança também aqueles que sofrem de verdade com algum problema consequente. Felizmente, como não há mal que perdure, temos motivos para festejar. Ao falar da APAE é sempre emocionante, um modelo de instituição que conquistou todo o país e que está presente em Leopoldina, uma Associação merecedora de todo nosso respeito, assim como seus atendidos, assim como todos os cidadãos e cidadãs. Daí, aproveito esta ocasião para destacar a APAE de São Paulo, considerada a pioneira na realização do Teste do Pezinho no Brasil, por ela implantado no ano de 1976, tornando-se em 2001 um Serviço de Referência em Triagem Neonatal credenciado pelo Ministério da Saúde. 

Para conscientizar a população sobre a importância do exame, a APAE DE SÃO PAULO e a Unisert (União Nacional dos Serviços de Referência em Triagem Neonatal) promovem a Campanha Junho Lilás, que contará com monumentos iluminados pela cor, em São Paulo, e ações com mães e pais influenciadores digitais. Um exemplo a ser seguido.




Os comentários são de responsabilidade dos seus autores e não representam a opinião do Jornal O Vigilante Online, que reserva-se o direito de excluir postagens ofensivas, injúrias, xingamentos, ameaças e agressões a quaisquer pessoas.

Logo O Vigilante
Jornal O VIGILANTE ONLINE | HC&P - Copyright © 2009-2019 | Este material não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem autorização
Criado e Desenvolvido por Criado e Desenvolvido por HPMAIS