Icone de mensagem contato@ovigilanteonline.com Icone de telefone (32) 991734242

Ruas escuras preocupam moradores de Leopoldina

José Augusto Cabral | Ronda Vigilante - 25/07/2018 - 09:05 | Atualizado: 25/07/2018 - 10:51

A iluminação pública apresenta problemas em bairros e na região central da cidade. Cada vez mais crítica e consciente de seus direitos, população reivindica melhorias. 



Início da madrugada desta quarta-feira (25), em Leopoldina. Nossa equipe de reportagem foi escalada pela Redação para percorrer a cidade e observar locais que apresentam problemas na iluminação pública. 


Além do relato necessário para descrever tal situação enfrentada pela população, imagens ilustram as deficiências na iluminação de ruas, avenidas e praças. Além de prejudicar os moradores, a escuridão em vários locais também favorece a ação de criminosos, que não de agora aproveitam a calada da noite para arrombarem imóveis residenciais e comerciais, além de praticarem assaltos à mão armada, como o registrado pela polícia militar no último final de semana, quando no Bairro Maria Guimarães França (Cohab Velha), um trailler de lanches em funcionamento foi roubado por dois homens, que após a ação fugiram por uma trilha próxima que leva à rodovia BR-116. 

Longe de ser um fato isolado na cidade, a escuridão nas vias públicas pode ser considerada democrática, ou seja, afeta todas as camadas da sociedade, do centro aos bairros periféricos. 

Bairro Vale do Sol

Se alguns casos de assalto ocorridos na cidade podem estar relacionados a problemas na iluminação pública, impossível não reconhecer que começa a ser impactada a sensação de segurança das pessoas. “Eu evito sair à noite e quando é preciso fico muito preocupado”, comentou um morador do Bairro Quinta Residência, preferindo não ser identificado. “Existem locais próximos de trechos escuros que já são os preferidos por usuários de drogas e pessoas dispostas a praticarem assaltos”, mencionou. 

Após pouco mais de uma hora desde o início da reportagem, observamos que além de lâmpadas apagadas é comum nos postes a utilização de braços curtos para fixar a iluminação na maioria das ruas, detalhe que potencializa a escuridão naquelas vias onde as árvores, que são necessárias e devem ser preservadas, contribuem para obstruir a passagem da luz. Nestes postes, a substituição dos braços curtos por braços mais longos seria fundamental para clarear tais áreas. 

Bairro Maria Guimarães França (Cohab Velha)

Desdobrando o tema, é preciso mencionar que as polícias militar e civil de Leopoldina se esforçam para manterem a segurança pública, entretanto, recordemos que este ano a 6ª Companhia Independente de Polícia Militar foi rebaixada, passando a denominar-se 37ª Companhia. Felizmente, a qualidade do efetivo da corporação é inquestionável, capaz de superar eventuais deficiências que possam ocorrer devido à decisão de rebaixar a Unidade, medida que consideramos injusta para com o município de Leopoldina e de certa forma, para com os próprios militares. 

Enfim, uma pergunta que não quer calar: Quem tem a responsabilidade de resolver a demanda da iluminação pública em Leopoldina? 

Até 2015 este setor era atendido pela Energisa. Em 1º de janeiro de 2015, cumprindo determinação da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), a iluminação pública teve sua manutenção transferida para os municípios. Leopoldina optou por participar de um consórcio formado por 18 municípios, contratando a empresa Quark Engenharia, sediada em Santa Catarina, que assumiu em 16 de janeiro daquele ano a responsabilidade pelos ativos de iluminação pública (lâmpadas, luminárias, relé/contatores, reator, braço e acessórios) dos municípios. 

Este ano, no dia 16 de janeiro, foi assinado um aditivo ao contrato inicial, vigorando com novos prazos de atendimento. A partir do recebimento da solicitação para executar os serviços de manutenção o prazo da empresa é de 48 horas. Nos casos de correção para lançamento no sistema informatizado após execução dos serviços e manutenção, correção emergencial, conjunto de 03 ou mais pontos sequenciais apagados durante a noite em região central ou bairro  o prazo é de 24 horas úteis. Para correção de ponto isolado apagado durante a noite em comunidade rural ou distritos o prazo é de 96 horas. Todas as reclamações podem ser feitas através do número: 0800 887 0870.

Moradores ouvidos durante a ronda desta madrugada acreditam que a poda correta, sem agredir as árvores, seria importante para o melhor aproveitamento da iluminação das ruas. Neste caso, a mensagem dos cidadãos destina-se à administração municipal, através do setor responsável pela execução dos serviços de poda, bastante criticado nos últimos anos, seja pela demora em sua realização ou pela forma radical com que muitas árvores são podadas.
 
Após tomar conhecimento da reportagem, a Assessoria de Imprensa da Prefeitura, através do assessor Iago Xavier, entrou em contato com a Redação informando que acabara de encaminhar a matéria para a empresa Quark para que os problemas sejam resolvidos.

Rua Estela Melo  - Rosário

Rua Olinto Gonçalves Neto - Acesso à Cohab Nova

Bairro de Fátima - Pinguda

Praça da Cohab Velha

Rua Professor José Lintz
 


Fonte: O VIGILANTE ONLINE




Os comentários são de responsabilidade dos seus autores e não representam a opinião do Jornal O Vigilante Online, que reserva-se o direito de excluir postagens ofensivas, injúrias, xingamentos, ameaças e agressões a quaisquer pessoas.

Logo O Vigilante
Jornal O VIGILANTE ONLINE | HC&P - Copyright © 2009-2019 | Este material não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem autorização
Criado e Desenvolvido por Criado e Desenvolvido por HPMAIS