Icone de mensagem contato@ovigilanteonline.com Icone de telefone (32) 991734242

Iluminação pública em Leopoldina é alvo de reclamação de moradores

O VIGILANTE ONLINE | Cidade - 29/01/2019 - 20:50 | Atualizado: 14/02/2019 - 21:02

Secretário de Governo informou que problema deve ser resolvido nos próximos dias. Município possui pendências com a empresa.


Foto: Arquivo/O Vigilante

Foto: Arquivo/O Vigilante

Moradores de várias regiões da cidade reclamam de problemas relacionados a iluminação pública em Leopoldina. No Bairro Imperador leitores relataram ao Jornal O Vigilante que estão há quase uma semana sem iluminação na Rua Léa de Medeiros Guimarães, próximo da Caixa D’água do bairro. “Está muito escuro, um perigo para nossas famílias”, contou o morador, mencionando que nesta semana uma lanchonete foi assaltada naquele bairro. “Tentaram entrar na casa da minha vizinha, de sexta-feira para sábado”, mencionou, acrescentando que outra rua no Bairro Imperador está na mesma situação. Segundo o internauta, os problemas estariam ocorrendo devido a não ter sido feito o Termo Aditivo do contrato com a Quark Engenharia para o ano de 2019. 

A Reportagem do Jornal O VIGILANTE ONLINE entrou em contato com o Secretário Municipal de Governo, João Paulo Fófano e indagou a respeito do Termo Aditivo. De acordo com o Secretário um novo Termo já foi assinado pelo Prefeito José Roberto de Oliveira e nos próximos dias o documento também será assinado pela empresa, esclarecendo que estão empenhados nesta questão os secretários municipais de Governo, Administração, Obras e Fazenda. Perguntado se havia alguma pendência financeira do município de Leopoldina com a Quark Engenharia, João Paulo informou que existe um atraso de 4 ou 5 meses no pagamento do Termo Aditivo, justificando que a pendência ocorre devido a falta de repasses do governo estadual. 


O Jornal também entrou em contato com o representante da empresa Quark Engenharia em Conselheiro Lafaiete e aguarda retorno. 

A determinação de transferir a responsabilidade da Iluminação Pública para os municípios veio da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), a partir do dia 1º de janeiro deste ano. As distribuidoras de energia de todo o Brasil não são mais responsáveis pelos ativos de iluminação pública (lâmpadas, luminárias, relé/contatores, reator, braço e acessórios) dos municípios. O prazo para que as distribuidoras concluíssem o processo de transferência dos ativos de Iluminação Pública (IP) encerrou no dia 31 de dezembro de 2014.

Em 1º de janeiro de 2015, cumprindo determinação da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), a iluminação pública teve sua manutenção transferida para os municípios. Leopoldina optou por participar de um consórcio formado por 18 municípios, contratando a empresa Quark Engenharia, sediada em Santa Catarina, que assumiu em 16 de janeiro daquele ano a responsabilidade pelos ativos de iluminação pública (lâmpadas, luminárias, relé/contatores, reator, braço e acessórios) dos municípios. Até então o setor era atendido pela Energisa.

No dia 16 de janeiro de 2018 foi assinado um aditivo ao contrato inicial, vigorando com novos prazos de atendimento. A partir do recebimento da solicitação para executar os serviços de manutenção o prazo da empresa é de 48 horas e o telefone de atendimento é o 0800-887-0870. Nos casos de correção para lançamento no sistema informatizado após execução dos serviços e manutenção, correção emergencial, conjunto de 03 ou mais pontos sequenciais apagados durante a noite em região central ou bairro  o prazo é de 24 horas úteis. Para correção de ponto isolado apagado durante a noite em comunidade rural ou distritos o prazo é de 96 horas. 

A Quark Engenharia, empresa especializada na execução de serviços de engenharia elétrica, assumiu a responsabilidade pela manutenção corretiva e preventiva de todo o sistema de iluminação pública do município, além da prestação de serviços de Call Center e software para gestão, fiscalização, despacho e recepção de serviços de Manutenção do Sistema de Iluminação Pública. Os serviços englobam o Perímetro Urbano, Zona Rural e bairros mais afastados, com prestação de serviços de materiais, equipamentos e mão de obra.

Fonte: Jornal O Vigilante




Os comentários são de responsabilidade dos seus autores e não representam a opinião do Jornal O Vigilante Online, que reserva-se o direito de excluir postagens ofensivas, injúrias, xingamentos, ameaças e agressões a quaisquer pessoas.

Logo O Vigilante
Jornal O VIGILANTE ONLINE | HC&P - Copyright © 2009-2019 | Este material não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem autorização
Criado e Desenvolvido por Criado e Desenvolvido por HPMAIS