Moradores de distrito de Nova Lima são evacuados por risco de rompimento de barragem da Vale

O VIGILANTE ONLINE | MG - 16/02/2019 - 22:38 | Atualizado: 16/02/2019 - 23:00

O acionamento da sirene ocorre devido à elevação ao nível 2 de risco.


Imagem: Google/Reprodução

Imagem: Google/Reprodução

Cerca de 170 moradores de Macacos, distrito de Nova Lima, na Grande BH, precisaram deixar suas casas na noite deste sábado (16), por risco de rompimento da barragem B3/B4, da Mina Mar Azul, pertencente à Vale.

Conforme informações do Corpo de Bombeiros, a auditoria se negou a atestar segurança da estrutura e, por isso, foi realizada a evacuação preventiva de 49 residências, que estão incluídas no plano de emergência.

A barragem tem aproximadamente 3 milhões de metros cúbicos de rejeito com estrutura à montante. Até o início da noite, ela estava no nível 1 em risco de rompimento, mas foi modificada para nível 2, seguindo o protocolo de segurança. A sirene também foi acionada, o que não quer dizer que a barragem rompeu. O acionamento da sirene ocorre devido à elevação ao nível 2 de risco.

As 49 casas que foram evacuadas serão conferidas, uma a uma, por equipes dos Bombeiros e da Defesa Civil. Além do contingente que já está no local, equipes de reforço estão em sobreaviso e planos de contingência estão prontos para emprego caso seja necessário.

As pessoas que não estão na área do plano de emergência não precisam abandonar suas casas. 


Medo em Minas
Macacos é a terceira cidade a ser evacuada por risco de rompimento em barragens nas duas últimas semanas. Em Barão de Cocais e Itatiaiuçu, na região Central, inúmeras famílias também precisaram sair às pressas no dia 8 de fevereiro, por risco de rompimento de barragens da Vale e da ArcelorMittal. Desde então, elas permanecem em hotéis sem saber quando poderão voltar aos lares.

Brumadinho
Em Brumadinho, o rompimento da barragem da mina Córrego do Feijão, da Vale, deixou pelo menos 166 mortos e 145 desaparecidos no dia 25 de janeiro. O Corpo de Bombeiros ainda realiza buscas no local para tentar encontros todos os corpos. O Ministério Público mineiro suspeita que funcionários da Tuv Sud – empresa alemã responsável pelas vistorias técnicas da barragem – tenham sido pressionados pela Vale a assinarem os laudos atestando condições favoráveis do reservatório. Na última sexta-feira (15), oito pessoas ligadas à Vale foram presas temporariamente. 

Fonte: Jornal Hoje em Dia



Os comentários são de responsabilidade dos seus autores e não representam a opinião do Jornal O Vigilante Online, que reserva-se o direito de excluir postagens ofensivas, injúrias, xingamentos, ameaças e agressões a quaisquer pessoas.

Logo O Vigilante
Jornal O VIGILANTE ONLINE | HC&P - Copyright © 2009-2019 | Este material não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem autorização
Criado e Desenvolvido por Criado e Desenvolvido por HPMAIS