Empresário esclarece preços de combustíveis em reunião pública na Câmara de Leopoldina

Assessoria | Cidade - 22/02/2019 - 08:54 | Atualizado: 22/02/2019 - 09:46

Foto: Arnaldo Spíndola/Câmara Municipal de Leopoldina

Foto: Arnaldo Spíndola/Câmara Municipal de Leopoldina

A diferença de preços praticados entre os postos de Leopoldina e de Muriaé, ambos de sua propriedade, foi justificada pelo empresário em virtude de uma guerra de mercado, provocada por uma disputa de bandeiras naquele município.

Em atendimento ao Requerimento nº 12/2019, de autoria dos vereadores Jacques Villela, José Ferraz Rodrigues, Sebastião Geraldo Valentim e José Augusto Cabral, a Câmara Municipal de Leopoldina promoveu uma reunião pública, no dia 14 de fevereiro, tendo a presença de representantes de postos de combustível, com o objetivo de explanar sobre o mercado nacional e regional de preços de combustíveis, explicando como os postos trabalham perante a especificação do produto.

Sob a presidência de Waldair Barbosa Costa, a reunião contou com as presenças de Maurício Silva Bastos, proprietário do Posto V8, Dr. Lucas Sá, advogado da MinasPetro, Ricardo Dias e Marcos Costa, respectivamente presidente e vereador da Câmara Municipal de Cataguases. Além dos autores do requerimento, também compareceram os parlamentares Rogério Campos Machado, Ivan Martins Nogueira, Kélvia Raquel e Flávio Lima Neto.


Leia também:
Câmara Municipal promove reunião pública para discutir preço dos combustíveis em Leopoldina


Em seu pronunciamento, Maurício Silva Bastos relatou os problemas que envolveram o mercado de combustível ultimamente e os motivos pelos quais seus sócios decidiram adquirir um posto em Muriaé. Ele discorreu sobre a volubilidade dos preços de gasolina e diesel, da Petrobrás para a distribuidora, demonstrando o início da diferença dos preços. O empresário explicou também sobre a trajetória dos combustíveis até chegar ao posto, dissertando sobre cada ponto do trajeto e mencionando os valores e as tributações desses pontos, aludindo às diferenças entre os valores de cada Estado.

Maurício Silva Bastos (foto) explanou também acerca dos decréscimos e acréscimos nas refinarias que possibilitam o aumento ou a redução do combustível, mas, segundo ele, em um dia diminuem alguns centavos, em outros dias aumenta o dobro. Ele esclareceu que o estoque de combustível dura cerca de 4 a 5 dias e que, quando ocorre o decréscimo nas refinarias, o valor incide nas próximas compras e não no estoque, já que a compra foi efetuada antes do decréscimo.

Durante sua explanação, o empresário respondeu algumas indagações e esclareceu sobre a incidência de tributos, os valores pagos tributados e a divisão dos lucros acima dos combustíveis. Ele destacou a rentabilidade líquida de várias empresas, equiparando-as com os postos de gasolina que possuem uma rentabilidade líquida baixa.

Questionado sobre a discrepância de preços praticados entre o Posto de Leopoldina e o de Muriaé, ambos de sua propriedade e de seus sócios, Maurício Silva Bastos explicou que, em Muriaé, houve uma disputa entre bandeiras, fomentando uma guerra de mercado. Diante da perda de muitos clientes, o representante Ipiranga resolveu baixar o preço para acompanhar o mercado e recuperar os clientes perdidos. Segundo o empresário, em Leopoldina não ocorre esse fenômeno, o que inviabiliza a redução nos preços pela Petrobrás.




Em seguida, Dr. Lucas Sá explanou sobre os preços dos combustíveis, desmitificou algumas questões e apresentou conceitos acerca do tema. Ele discorreu que atualmente o preço da gasolina acompanha os mercados internacionais, diferentemente do que acontecia há alguns anos. O advogado comentou sobre a percepção equivocada da população acerca dos preços, explicando os critérios e fatores de venda das distribuidoras, os preços e características da configuração de Cartel.

Ao final, os autores do requerimento ressaltaram a importância dos esclarecimentos acerca do tema e salientaram a coragem do empresário em adquirir um novo empreendimento na região. Maurício Silva Bastos agradeceu a oportunidade, reconheceu a importância das fiscalizações do Legislativo e formulou um convite para que os vereadores compareçam em seu empreendimento para elucidar qualquer dúvida que possa ainda existir. 


Fonte: Câmara Municipal de Leopoldina - Arnaldo Spíndola




Os comentários são de responsabilidade dos seus autores e não representam a opinião do Jornal O Vigilante Online, que reserva-se o direito de excluir postagens ofensivas, injúrias, xingamentos, ameaças e agressões a quaisquer pessoas.

Logo O Vigilante
Jornal O VIGILANTE ONLINE | HC&P - Copyright © 2009-2019 | Este material não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem autorização
Criado e Desenvolvido por Criado e Desenvolvido por HPMAIS