Icone de mensagem contato@ovigilanteonline.com Icone de telefone (32) 991734242

Tairone Vale apresenta a peça 'Versão Demo' no Centro Cultural Mauro de Almeida Pereira

Edição: Júlio Cabral | Cultura - 13/06/2019 - 13:05 | Atualizado: 15/06/2019 - 10:08

O espetáculo estréia em Leopoldina com duas apresentações, na sexta-feira dia 28 de junho e no sábado (29) às 20h00.


Foto/Divulgação

Foto/Divulgação

Como seria se o diabo, numa palestra, resolvesse contar a sua versão da estória? Com essa pergunta, nasce a peça-conferência escrita e protagonizada pelo ator e dramaturgo Tairone Vale. O espetáculo estréia em Leopoldina com duas apresentações, na sexta-feira dia 28 de junho e no sábado (29) às 20h00.

O texto de Versão Demo tem como espinha dorsal a conturbada relação do famoso "Anjo Caído" com seu "Chefe Supremo", contando os fatos que levaram a figura de Lúcifer cair de "Favorito do Patrão" para inimigo público número 1. Porém, numa espécie de atravessamento da fábula principal, dramaturgias paralelas alçam o discurso central a uma espécie de polifonia composta por citações de políticos, pastores, poetas, além de músicas, manchetes e a carta de um assassino, conectando a história narrada pelo diaboao atual momento político e social da humanidade.

“A complexa dramaturgia dessa peça nos faz repensar a figura divina concebida à imagem e semelhança do homem branco, cisgênero, produto de um sistema patriarcal segregador, controlador e autoritário. O artista/palestrante faz uma autocritica dos seus privilégios e abre um canal de reflexão sobre toda a barbárie cometida em função desse modelo hegemônico”, comenta o diretor, que pela terceira vez contou com a diretora assistente Mariah Valeiras, também responsável pela supervisão do texto.  

A encenação busca construir um espaço característico de uma palestra: microfones,  retro-projetor, equipamentos de som e luzes, porém tudo está sob o controle do diabo. É o próprio ator que opera todo o aparato tecnológico enquanto se desdobra em todas as “personagens”. “Há um caráter artesanal e uma certa precariedade nisso tudo, no cenário feito de pedações de armários de ferro, nas projeções de transparências, nas luminárias que ele utiliza. Tudo isso, de alguma forma contrasta com a voz amplificada do palestrante: poderosa, tirana, símbolo do autoritarismo masculino branco ocidental, que grita pra fazer valer seu poder. 

Continua depois da publicidade




Segundo Tairone, o espetáculo surgiu de uma ideia antiga de desenvolver um romance que narrasse o ponto de vista do próprio Diabo sobre a estória. Depois disso um clique sugeriu que este romance talvez não fosse um livro, mas a oportunidade de fazer o seu primeiro espetáculo solo.

Em breve será divulgado os valores dos ingressos das apresentações.

Ficha técnica
Texto e atuação: Tairone Vale
Direção e Iluminação: Rodrigo Portella
Supervisão dramatúrgica: Rodrigo Portella e Mariah Valeiras
Diretora assistente: Mariah Valeiras
Trilha Sonora: Marcello H
Desenho de som: Diogo Perdigão
Figurino: Rita Murtinho
Cenografia: Rafael Ski
Cenotécnico: Corélio Rosa
Projeto gráfico: Raquel Alvarenga
Fotos (projeto gráfico): Luís Filipe Fontes
Fotos de ensaio: Pri Helena
Diretor de Produção: Gustavo Carvalho
Produção (BH): Maria Mourão
Produção (RJ): Pri Helena
Assessoria de Imprensa: Renata Rocha
RedesSociais: Mariah Valeiras
Gestão: Pomar Cultural - Felipe Xavier e Heider Resende
Patrocínio: Arpel
Incentivo: Governo do Estado de Minas Gerais

Conheça alguns trabalhos do ator Tairone Vale
Paulo Belote/Globo/Divulgação
Atuou em diversos curtas-metragens, videoclipes, comerciais de TV e espetáculos teatrais, entre eles o espetáculo "Insetos" da carioca Cia. dos Atores, com texto de Jô Bilac e direção de Rodrigo Portella, em celebração dos 30 anos da companhia. Co-escreveu, com o mesmo diretor, o primeiro espetáculo da Cia. Cortejo, "Uma História Oficial, no qual também atua, além de integrar ainda o elenco do terceiro espetáculo da Cia., “Alice mandou um beijo”, indicado ao Prêmio Cesgranrio de melhor texto.

É autor, entre outros, do curta-metragem “Aqueles Cinco Segundos”, com os atores Gabriel Godoy (HBO/Globo) e Luciana Paes (Cia Hiato – SP/Globo) exibido nos festivais de Tiradentes-MG, Cannes-FRA e vencedor de dois Kikitos (melhor atriz e direção) no Festival de Cinema de Gramado-RS 2016.

Atuou nos curta-metragens “Rosalita” (01/2017) do diretor Luciano Azevedo (eleito melhor curta-metragem brasileiro no FantasPOA 2018) e “A Ponte” (05/2017) do diretor Rafael Câmara, produzido pelo canal TNT/Warner.

Escreveu e atuou no curta-metragem “SINOPSE” ao lado de Gabriel Godoy e Maitê Proença, em agosto de 2017, em fase de finalização.

Na Rede Globo, atuou nas novelas “Além do Horizonte, Rock Story, "O Outro Lado do Paraíso", "Deus Salve o Rei" como o mineiro-chefe Samuel e das minisséries “Justiça” e como o mercenário Jáder em "Se Eu Fechar os Olhos Agora", ainda inédita na TV. Esteve ainda na pele do Delegado Nolasco, na reta final da novela "Segundo Sol", com forte apelo de público do personagem.

Pela Globo Filmes, atuou no especial de Natal "Dia de Reis" como o divertido primeiro-contramestre de folia Valentim.

Fonte: Secretaria Municipal de Cultura de Leopoldina




Os comentários são de responsabilidade dos seus autores e não representam a opinião do Jornal O Vigilante Online, que reserva-se o direito de excluir postagens ofensivas, injúrias, xingamentos, ameaças e agressões a quaisquer pessoas.

Logo O Vigilante
Jornal O VIGILANTE ONLINE | HC&P - Copyright © 2009-2019 | Este material não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem autorização
Criado e Desenvolvido por Criado e Desenvolvido por HPMAIS